Quando eu morei com uma japonesa

Acho que cheguei nos Estados Unidos em uma quarta, quinta fui para meu apartamento e, sexta tive uma integração na faculdade. No sábado tive a pior experiência da minha vida fui ao mercado, quase que sem querer (assunto para outro post). Comprei algumas coisas para passar a semana e voltei pra casa.

No domingo tinha combinado de ir à Newport, com algumas meninas que tinha conhecido na integração. Então levantei e decidi fazer panquecas para mim e minhas roomates. Só que a massa pronta que tinha comprado dizia que era só aquecer… mas na verdade tinha que misturar com leite. E eu não tinha comprado leite puro, só café com leite do Starbucks.

Numa atitude impulsiva, pedi emprestado para a japonesa que dividia quarto comigo. E ela disse:

“Se você precisa tanto de leite, devia comprar o seu e não pedir o meu”.

TCHAN! Hahahaha. Fiquei chocada, não consegui nem ter reação. Só agradeci, tomei café sozinha e depois fui para a praia.

Quando voltei conversamos sobre o assunto e tudo ficou “resolvido”, mas ela deixou claro que “o que é seu, é meu e o que é meu é só meu”. Então tudo bem ela usar os sabonetes que eu comprava, os utensílios de banheiro e cozinha, mas ela não dividiria comigo (nem com as outras duas meninas que moravam com a gente) NADA que ela tivesse comprado, nem a buchinha da cozinha.

Deixei pra lá e segui minha vida.

Depois, tivemos alguns problemas quanto a divisão do quarto. Como a gente sabe, japoneses estudam muito e são bem esforçados. E ela não era diferente, mas queria estudar sozinha no quarto. Até uma da manhã. E eu queria… dormir. Uma coisa foi levando a outra e achamos melhor trocar de quarto, ela ficaria com a coreana que já morava no apartamento quando chegamos (elas tinham a mesma idade, 19 anos), e eu com a francesa, a Julie, que tinha a mesma idade que eu e nos dávamos muito bem.

Depois disso conversamos algumas vezes sobre passeios, montanhas-russa e principalmente Las Vegas (ela queria muito ir, mas não tinha idade para fazer nada por lá). Mesmo assim, algumas vezes era bem difícil a convivência.

Nas últimas semanas dela no apartamento, ela passou uma carta por baixo da porta do quarto que dividia com a Julie, dizendo que foi infantil e oferecendo um jantar de desculpas para nós. Foram as melhores semanas no apartamento: ficávamos fazendo trabalho e estudando para as finals e apresentações as três juntas (a coreana quase nunca saía do quarto).

1487452_429402727186677_1805777436_n

Foto que ela publicou no Facebook: eu e Julie experimentando as coisas que ela cozinhou. Esse frango era uma delícia!

Foi uma prova de resistência do BBB, mas no fim deu tudo certo <3

Se quiser mais dicas sobre intercâmbio, você pode ler o meu e-book, Intercâmbio 21+ – Um guia para quem não tem tempo (nem dinheiro) a perderVocê adquirir a versão completa na Amazon ou baixar uma amostra gratuitamente aqui

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s