Sobre o meu projeto

[Na cidade de: Todas Local: O mundo...]

[Na cidade de: Todas
Local: O mundo…]

Dizem, quem “bebe água da lona” nunca mais sai do circo. Comigo não foi diferente. Em 2009 visitei a Picadeiro Circo Escola, em Osasco (SP), para uma reportagem. A escola desenvolvia um projeto de circo social com crianças carentes da região e, por muito tempo, aquele universo ficou na minha cabeça.

Três anos depois, decidi ter a escola como “personagem” do meu trabalho de conclusão do curso de Jornalismo (que você pode baixar aqui). Mas tudo mudou quando conheci Douglas Bardeline, professor da escola, trapezista e palhaço.

Minha intenção era, na verdade, pedir autorização ao seu Zé, dono da escola, para contar sua história, mas Douglas apareceu no caminho e, se apresentando como assessor, veio conversar comigo.

Com o gravador desligado e sem nenhum bloco de anotações ou caneta, começamos a conversar: então com 33 anos, há dois, ele tinha se tornado trapezista. Ao contrário do que se imagina, sua família não era circense e, até pouco tempo, Douglas era professor de artes em uma escola da rede municipal. Conheceu a Picadeiro e decidiu: seria trapezista. As pessoas riram.

Depois, percebeu que viver de circo não seria o bastante: ele queria viver o circo. Deixou de lado o aluguel de uma casa, vendeu os dois carros que tinha e comprou um trailer. Foi morar nos fundos da Picadeiro. Não é apenas trapezista, como hoje é um dos poucos especialistas em caminhão trapézio – equipamento francês, único e pouco conhecido, no qual se apresenta a 14 metros de altura, em qualquer local, sem a presença da lona de circo.

A conversa me invadiu de uma maneira que até hoje não sei explicar. Mudei o rumo do meu TCC – que foi muito bem, obrigada – mas não foi o bastante. Quantos Douglas existem por aí? Quantas pessoas seguiram seus sonhos, independente de dinheiro, família, opiniões? Qual era o meu sonho?

Ainda não descobri, mas Douglas me inspirou muito mais do que pode imaginar. E, por isso, decidi escrever sobre sonhos, vontades, desejos. Quero conhecer pessoas que inspiram – e levar essas histórias além.

O Projeto Pare de Sonhar é sobre isso. É sobre “a poesia que a gente não vive”, sobre histórias, pessoas, realidade.

Stop dreaming, start living.

PS: Em breve, vou contar a história do Douglas. Mas, enquanto isso não acontece, você pode ler mais sobre ele (e o seu Zé, e a Andressano meu ebook, gratuitamente. A casa é sua :)

ATUALIZAÇÃO: VEJA AS HISTÓRIAS DO PROJETO PARE DE SONHAR ;)

Anúncios

2 comentários sobre “Sobre o meu projeto

  1. Gabriela disse:

    Muito legal essa iniciativa, Ana! Com certeza vou acompanhar seu projeto. Quem sabe um dia chego na parte da realizacao do sonho — por enquanto to so seguindo mesmo. ;)

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s