estudar na china lorena magalhães ciencia sem fronteiras pare de sonhar ana sasso blog projeto

Ela foi estudar na China (sem gastar um centavo!)

“Aprendi que o melhor lugar do mundo é aquele que te acolhe. Aprendi a não julgar nada sem conhecer”, Lorena Magalhães. Largou tudo e passou um ano estudando mandarim na China

estudar na china lorena magalhães ciencia sem fronteiras pare de sonhar ana sasso blog projeto

Aqui, a 2.300 metros de altura, onde percebeu tudo o que havia aprendido com o país

“Tem que aprender inglês desde cedo para ser alguém na vida. Começa logo aos 3 ou 4 anos na escola bilíngue para se familiarizar com o idioma. O que?! Como ele vai se familiarizar com outra língua se nem com a dele se familiarizou? Essa escola que eu vi tem métodos pedagógicos avançados desde o maternal. Um dos professores estudou em Stanford, acredita? Não é como essas escolinhas de bairro na qual as crianças ficam brincando.

Aos quinze ele vai para a Disney, em Orlando. É bom que, quando passar por Miami, já trás algumas roupas novas pra mim, né? Risos. Com dezesseis, high school em alguma cidadezinha nos Estados Unidos. Pensei em Salt Lake City, mas deixa ele decidir mais pra frente, né?! Mochilão pelo Peru? Ja-mais”

É interrompida. Coloca a taça de coquetel de morango sem álcool em cima da mesa. Abaixa a cabeça e, com as duas mãos na barriga, diz:

“Frederico, stop it! You can’t hit mommy like this!“. O sotaque britânico (será?) é forte, mas ela nunca foi à Londres. A barriga de três meses se mexe. Ela levanta a cabeça e, já com o copo em mãos, se explica: “Li sobre esse método novo… Você acredita que os bebês ouvem tudo o que a gente diz?!”

Antes mesmo de nascer, o plano está traçado. Não saia do traço, não se equilibre nas pontas dos pés, não levante os braços. Siga a linha. Siga o fluxo. Com Lorena Magalhães, não. Estuda engenharia civil e faz pesquisas em áreas diversas como engenharia de materiais e cosmetologia. “Sempre faço coisas que as pessoas habitualmente não fariam”, diz.

Assim como Frederico, personagem meramente ilustrativo nessa história, já falava inglês. Por curiosidade e influência do irmão, estudou um pouco de economia por conta própria e, pouco tempo depois, “a mente se abriu para um novo mundo chamado China”. Com ajuda do programa Ciência sem Fronteiras, em pouco tempo conseguiu tudo o que era necessário para uma bolsa de estudos de dois anos no país. Os amigos e a família não acreditam até hoje. “Me chamaram de louca”, conta.

Em julho de 2013, ficou noiva. Em setembro, embarcou rumo a Ásia. Um dia depois, chegou. Não foi fácil. Das 50 mil palavras do mandarim, tinha que aprender 1.200 em seis meses. Mas língua não era o mais difícil: “muitas vezes era tratada como criança dentro da universidade. Hoje acho engraçado e vejo que, no fundo, eles só tinham muito cuidado com a gente”.

Na sala de aula, quando alguém não entregava o dever de casa, tinha que assistir a aula em pé, por duas horas. “Vi meus amigos, marmanjos de 21-30 anos, ficando de castigo por isso. Era cômico!”, conta. Já pensou Frederico* estudando por lá?

Quando pensou em desistir, ouviu “a frase mais bonita que poderia ouvir de um chinês: give us a chance, stay with us“. Aceitou.

estudar na china lorena magalhães ciencia sem fronteiras pare de sonhar ana sasso blog projeto

“Esqueça tudo o que você já ouviu falar sobre a China. Quando você chegar lá não encontrará a maioria dos mitos que você ouviu”

Quase um ano depois de chegar ao país, decidiu subir Huashan, uma das cinco montanhas sagradas da China e, considerada por muitos uma das mais perigosas do mundo. “Estava em um dos momentos mais difíceis, com a saúde abalada e, tecnicamente, impossibilitada de uma aventura dessas. Quando cheguei lá vi que era um caminho tranquilo para quem quer que seja tranquilo. Até hostel tem nessa montanha, famílias e animais passeiam por lá”. Decidiu encarar o desafio e subir os quase 3 mil metros de altura – com a ajuda de um teleférico no início do trajeto.

Depois desse trecho, os problemas nos joelhos – que não aguentavam “sequer uma caminhada de 20 minutos na esteira” – ficaram para trás. “Não senti falta de ar nem dor alguma. Nunca senti tanta paz. Sou cética, mas algo ali me disse que já estava na hora de voltar”, conta.  Foi quando ela pensava ter chego no ponto mais alto de sua vida, que percebeu que ainda havia mais:

“sentada perto do abismo, Huashan me mostrou que só existe abismo pra quem não sabe sonhar. A MONTANHA me mostrou que sempre há mais”.

Então, na metade do tempo previsto, decidiu voltar para o Brasil. Hoje, vê a experiência como um divisor de águas. E garante: em todo o período que passou por lá, nunca comeu carne de cachorro ou espetinho de escorpião. “A realidade é que tudo o que se sabe sobre eles no Brasil é 90% errôneo e fantasioso”, afirma. Ficaram as lições: “O melhor lugar do mundo é aquele que te acolhe. Eu aprendi a não julgar nada sem conhecer. A realidade é que lá eu vivi os melhores momentos da minha vida e vi as paisagens mais inesquecíveis também”.

conheça MAIS HISTÓRIAS COMO A DA LORENA NO PROJETO PARE DE SONHAR :)

estudar na china, aprender mandarim, morar na china, como, ciencia sem fronteira, bolsa de estudo, governo, brasil, brasileiro, chines

*Mais informações: Para quem gostaria de se informar mais sobre o programa, ela avisa: “Não há dificuldades. Há muitos programas de intercâmbio oferecidos pelo governo brasileiro. Eu me inscrevi no Ciência Sem Fronteiras. A China também possui programas para o estrangeiro que quiser estudar lá, com bolsas de estudos de até 5 anos! Basta se informar e não desistir!”

Anúncios

2 comentários sobre “Ela foi estudar na China (sem gastar um centavo!)

  1. Karen Barbarini disse:

    Que texto inspirador! Amei do começo ao fim.
    Ler relatos como esse faz a gente ter mais coragem de enfrentar problemas e, principalmente, dão mais ânsia de viver tudo o que o mundo oferece…

    Curtir

    • Ana Sasso disse:

      É verdade, Karen <3 Eu fico tão feliz de poder ler esse tipo de coisa, porque é exatamente o que quero com esse projeto, hehe!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s