Frango com catupiry

A porta estava aberta e, sem pensar duas vezes, ele entrou. Pousou na bancada e se acomodou. De repente, uma corrente de ar. Era o dono da pastelaria, abanando um pano de prato. E dizia:

– Sai, flango!

Obediente, o pombo voou.

* Microconto escrito no Ateliê de criação textual, na Oficina da Palavra Casa Mario de Andrade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s