[Guia do intercâmbio] TOEFL, como é o dia da prova

Como já disse na primeira e segunda parte, eu pesquisei bastante sobre o TOEFL e acho que não li nenhum post sobre o dia da prova que me preparasse para o que iria encontrar, haha. Todo mundo alerta sobre documentos, roupa confortável, etc, mas ninguém diz como vai ser.

Eu fiz minha prova em Pinheiros, opção mais perto de casa. Chegando lá, logo na porta, uma pessoa confirmou meu nome e me deu uma fichinha com um número. Mesmo chegando com uma hora de antecedência, quatro ansiosos pessoas já estavam lá. Dei bom dia, ninguém respondeu. Achei estranho e logo entendi por que.

Junto com o número, recebi um termo, em inglês, que deveria assinar. Nessa hora já bate a sensação de que você entrou errado e, na verdade, está no FBI. O termo dizia que os participantes não podiam conversar entre si. E quem sou eu pra quebrar regras, né? Haha. Fiquei quietinha lendo meu livro.

Uns 20 minutos antes da prova, chamaram todo mundo pra fora e um instrutor explicou, em inglês de novo, como a prova seria feita. Depois disso, foram chamando por números para dentro de outra sala, onde tiravam nossas fotos e checavam o passaporte. Eu, como não prefiro arriscar, levei todos os documentos possíveis, incluindo comprovante de pagamento, mas só pediram meu passaporte.

Outro instrutor vai acomodando um por um na sala e em computadores aleatórios. Antes de sentar, você tem que deixar a bolsa/mochila na frente da sala. Eu levei um monte de caneta e papéis para anotação, mas não pude usar: você recebe cinco folhas de papel e um lápis, só. Se precisar de mais, levanta a mão durante a prova, eles recolhem seus papéis e te dão novos. Isso me atrapalhou um pouco durante o listening: meus papéis acabaram e os instrutores demoraram pra trazer outros. Como o áudio não para, tive que fazer anotações na mesa, mesmo.

Depois de acomodado, você faz um teste de áudio e de fala com o fone/microfone e pode começar a prova.

IMPORTANTE: Quando você finaliza o teste, aparece uma mensagem perguntando se você quer, ou não, que eles enviem seu resultado para as faculdades que escolheu na hora do cadastro. Se você disser que não, toda sua prova é cancelada e você perde o que fez. Eu achei meio sacanagem, porque no desespero, dá pra clicar errado e cancelar sua prova, sem reembolso. Vale tomar cuidado com isso também.

Se quiser mais dicas sobre intercâmbio, você pode ler o meu e-book, Intercâmbio 21+ – Um guia para quem não tem tempo (nem dinheiro) a perderVocê adquirir a versão completa na Amazon ou baixar uma amostra gratuitamente aqui

Anúncios

[Guia do Intercâmbio] Como se preparar para o TOEFL em dois meses (Parte II)

Como eu já disse aqui saber a estrutura da prova é uma das coisas mais importantes para se preparar.

O teste é dividido em quatro partes: reading, listening, speaking e writing. Cada parte tem um tempo para ser realizada, com um cronômetro na tela. Se o tempo acaba, a tela fecha e você segue para a próxima sessão, mesmo que não tenha finalizado. Por isso eu digo: se você souber se tranquilizar e administrar seu tempo, 50% da nota já é garantida.

Continuar lendo

[Guia do Intercâmbio] Como se preparar para o TOEFL em dois meses (Parte I)

Se você já estudou inglês, provavelmente já ouviu falar desse teste. O TOEFL é o exame exigido por boa parte das universidades americanas para estudar fora. Existem até cursos nas próprias universidades para esse tipo de prova. Ele é como um vestibular para estudar nos Estados Unidos.

É fácil? Não. Impossível? Também não.

Antes de fazer a prova pesquisei bastante sobre o assunto e, como pessoa pouco ansiosa, só me desesperei. Muita gente diz que a prova exige, no mínimo, um ano de estudos. Mentira. O que ela exige é foco e organização, independente do tempo que você tem disponível.

Não posso negar: tive uma boa formação em inglês e sempre fui meio nerd. Por outro lado, já tinha terminado meus estudos há mais de 8 anos e nunca mais estudei.

Claro, voltei a fazer aulas de inglês. Fiz 20 aulas particulares voltadas especialmente para a prova, que tem algumas particularidades, como avaliar seus conhecimentos acadêmicos de inglês e pegadinhas – coisas que você não aprende durante o curso normal de inglês. Por isso, é importante ter um professor que já fez o teste e conhece bem termos acadêmicos.

Outra coisa que me ajudou MUITO foi conhecer o bem formato da prova e o que os avaliadores esperavam de mim. Assim, você não tem surpresas e fica muito mais seguro para terminar o teste. Por isso, faça muitos simulados. Eu fazia dois por semana e, por recomendação da minha professora, usei o Barron’s como base de estudos. Deu certinho para fazer o livro todo nos dois meses de estudo. Além disso, ele tem várias dicas de como se organizar e fazer anotações rápidas.

bdafe4e2bb3f11e2bb5122000a9e2955_7

 

CONTINUAÇÕES:

Continuar lendo